Menopausa

Entre 4-6 de cada 10 mulheres na menopausa apresentam sintomas relacionados com atrofia vulvovaginal, apresentando um impacto negativo sobre a qualidade de vida em até 50% das mulheres.
A atrofia vaginal consiste no progressivo adelgaçamento, secura e inflamação das paredes vaginais que ocorre quando existe uma diminuição dos níveis de estrogénios. O canal vaginal também se torna mais estreito e curto. A perda de glicogénio celular (que contribui ao equilíbrio da flora vaginal) e fluxo sanguíneo epitelial reduzido são fatores que levam a alterações tecidulares morfológicas que se somam às alterações fisiológica e funcional ( redução de secreção vaginal, aumento de nível de pH vaginal, excedendo 5,0, redução de lactobacilos vaginais, inflamação e sensação de ardor, prurido, leucorreia ou secreção vaginal anormal, alisamento de dobras ou rugas vaginais (devido à redução de colagénio )).

20 de Dezembro, 2021

Fisioterapia uroginecológica

Fisioterapia especializada com exercícios orientados para a melhoria e recuperação da musculatura do pavimento pélvico.
20 de Dezembro, 2021

RenovaLase®

O tratamento com RenovaLase® baseia-se no aquecimento moderado controlado por laser do tecido vaginal. Assim, há estímulo da angiogénese (mecanismo de crescimento de novos vasos sanguíneos a partir dos já existentes), a atividade dos fibroblastos e a formação de novo colagénio, sem danos térmicos ou ablativos. O resultado é o aumento da espessura epitelial, bem como a vascularização da lâmina própria, juntamente com uma redução dos sintomas, como secura, prurido, irritação e dispareunia. Habitualmente, são necessárias 2 sessões com um […]